Brasília, 17 de Outubro de 2017
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV CâĘmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

CORRUPÇÃO
Ex-secretário de Cabral confirma "taxa de oxigênio" 02.05.2017
Divulgação
Hudson confirmou cobrança de propina

Brasília - O ex-secretário de Obras Hudson Braga (novembro de 2011 a dezembro de 2014) confirmou, em depoimento ao juiz Marcelo Bretas nesta terça-feira 92), a existência de caixa 2 na campanha à reeleição do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), em 2014, e o pagamento de 1% de propina em obras durante o governo de Sérgio Cabral (PMDB), a chamada "taxa de oxigênio".

 
Braga, que foi coordenador da campanha de Pezão e está preso com Complexo Penitenciário de Gericinó, disse que ficou com R$ 3 milhões de "sobras de campanha" e guardou o dinheiro em um cofre da empresa Transexpert. Após citação a Pezão, o magistrado não fez mais perguntas sobre o assunto, já que o governador tem foro privilegiado no Superior Tribunal de Justiça (STJ).
 
O ex-secretário também afirmou que a Andrade Gutierrez pagou 1% de propina sobre o contrato da obra do PAC das Favelas em Manguinhos, Zona Norte do Rio. Segundo ele, a cobrança do suborno foi uma orientação de Wilson Carlos, então secretário de Governo de Sérgio Cabral (PMDB).
 
Braga disse que os recursos ilícitos eram direcionados para presidentes de empresas vinculadas à Secretaria de Obras, além de superintendentes, subsecretários e assessores especiais do governo. O ex-secretário, que sinalizou várias vezes a intenção de firmar um acordo de delação premiada, afirmou que, "em outro momento", pode "descrever" os nomes.
 
"É verdade sim, excelência (a cobrança da "taxa de oxigênio"). Só preciso esclarecer que, conforme disse, sou um técnico, não fui eu que criei isso. Fui convocado no final de 2007, início de 2008, pelo secretário Wilson Carlos, que me relatou que existiam diversas queixas do valor do pagamento do salário que o estado remunerava e que ele tinha conversado com a Andrade para que contribuísse com 1% para que pudesse ser feito esse pagamento e melhorar o salário das pessoas envolvidas neste projeto. Isso aconteceu, ele me deu essa orientação, e eu organizei isso com o Wagner Garcia (Wagner Jordão, operador), que ficou responsável pelo recolhimento e pagamento das pessoas listadas", afirmou.
 
Braga foi questionado sobre o pagamento de propina em outras obras citadas na denúncia do Ministério Público Federal (MPF), como a reforma do Maracanã, mas afirmou que preferia "colaborar" em outro momento. O ex-secretário não respondeu diretamente se já foi ameaçado, mas afirmou que "não está tranquilo".
 
"Eu não estou tranquilo. Abrindo essa situação, eu não fico tranquilo, mas quero colaborar, tenho o desejo de colaborar", afirmou.
 
Homem forte
 
Hudson Braga era considerado o homem forte da área de obras do governo Cabral. É um dos envolvidos no esquema de corrupção do ex-governador do Rio que mais exibe sinais exteriores de riqueza. Certidões obtidas pelo GLOBO em cartórios demonstraram que ele é dono de um edifício comercial em construção em Volta Redonda, de 10 andares, de uma propriedade no Frade e outra na Ponta dos Ubás, em Angra, e de dois postos de gasolina, um deles em nome da mulher, Rosângela.
 
Braguinha, como é conhecido na política fluminense, começou a vida pública em Volta Redonda, onde foi secretário municipal de Administração no governo de Antonio Francisco Neto. Chegou ao Rio no governo Garotinho e continuou no governo Cabral, apadrinhado por Pezão. Foi, inicialmente, subsecretário estadual de Obras, mas assumiu a titularidade da pasta depois de Pezão, então vice-governador, asssumir no segundo mandato de Cabral, em 2014.
 
Em julho daquele ano, foi cuidar da campanha de Pezão. Anunciado depois das eleições para o cargo de coordenador de Infraestrutura e Integração Governamental, ele desistiu da função antes de assumir ao perceber que teria menos poder do que desejava. Homem de confiança do governador, queria sob o seu comando o Detran e a Comunicação Social.
 
As informações são do jornal O Globo


ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENT√?RIOS (0)  

Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal
CONTE√öDO RELACIONADO

05-10-2017 PF prende presidente do Comitê Olímpico
26-09-2017 Leil√£o de im√≥veis e iate de Cabral pode render R$ 28 milh√Ķes
05-09-2017 PF e MPF miram corrupção no Comitê Olímpico
23-08-2017 Gilmar manda soltar mais 3 da propina de √īnibus
08-08-2017 Presidente do PT é acusada de corrupção e lavagem
07-08-2017 Delta pagou propina a Cabral em obras do Maracan√£
VEJA MAIS

17-10-2017 Cultura punitiva se alastra
17-10-2017 Moraes determina votação aberta sobre Aécio no Senado
16-10-2017 PF recolhe documentos em gabinete de irm√£o de Geddel
16-10-2017 Temer envia carta a deputados para se defender de den√ļncia
16-10-2017 O caos organizado

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152