Brasília, 17 de Outubro de 2017
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV CâĘmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

BRASIL EM CRISE
Deputado tucano ser√° o relator da den√ļncia contra Temer 28.09.2017
Divulgação
Bonif√°cio Andrada foi anunciado na CCJ

Brasília - O deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) será o relator do processo contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça, na Câmara dos Deputados. O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (28/9) pelo presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG).

A decisão deve gerar uma briga com o PSDB, já que o líder da bancada na Câmara, deputado Ricardo Trípole (PSDB-SP) já havia pedido expressamente a Pacheco que não indicasse um tucado para a relatoria.

Na denúncia passada, quando Temer era acusado de corrupção passiva, o relator escolhido foi o deputado Paulo Abi-Ackel, também de Minas Gerais, o que levou Trípole a orientar a bancada a votar contra o relatório.

A denúncia

A segunda denúncia contra o presidente Michel Temer foi oferecida pela equipe do então procurador-geral da República Rodrigo Janot em 14 de setembro. Desta vez, Temer foi denunciado por prática de organização criminosa e obstrução de Justiça. O ex-PGR também incluiu na acusação, que ficou conhecida como "Quadrilhão do PMDB", os nomes do ex-deputados Eduardo Cunha e Rodrigo Loures, dos ex-ministros Henrique Alves e Geddel Vieira Lima, e dos ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco.

Segundo a peça de Janot, todos os envolvidos praticaram ações ilícitas em troca de propina por meio da utilização de diversos órgãos públicos, como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados desde 2006, quando o Conselho Nacional do PMDB aprovou a integração da legenda, em bloco, à base aliada do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ex-procurador relaciona os fatos do passado com o mandato atual de Temer afirmando que, com uma forte atuação parlamentar e responsabilidade por outras indicações políticas que durariam até hoje, a organização criminosa teria permanecido praticando crimes durante os anos de 2015, 2016 e 2017.

Janot apontou ainda que Temer atuou por meio de terceiros neste período e assumiu a liderança da organização criminosa a partir de 2016, quando chegou à Presidência da República.

Com agências  



ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENT√?RIOS (0)  

Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal
CONTE√öDO RELACIONADO

17-10-2017 Moraes determina votação aberta sobre Aécio no Senado
14-10-2017 Senado decide na terça-feira destino de Aécio Neves
12-10-2017 STF precisa de aval para afastar parlamentares
04-10-2017 Senado recua e vai aguardar decisão do STF sobre Aécio
03-10-2017 Fachin rejeita pedido de Aécio contra afastamento
03-10-2017 Sob pressão do STF, Senado vota hoje o caso Aécio
VEJA MAIS

17-10-2017 Cultura punitiva se alastra
17-10-2017 Moraes determina votação aberta sobre Aécio no Senado
16-10-2017 PF recolhe documentos em gabinete de irm√£o de Geddel
16-10-2017 Temer envia carta a deputados para se defender de den√ļncia
16-10-2017 O caos organizado

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152