Brasília, 21 de Novembro de 2017
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV CâĘmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

CORRUPÇÃO
Geddel quer saber quem delatou o bunker milion√°rio 04.11.2017
Divulgação
Geddel quer o nome do denunciante

Brasília - O ex-ministro Geddel Vieira Lima quer saber quem é o dono do telefone usado para denunciar a existência de um bunker em um apartamento em Salvador onde foram encontrados R$ 51 milhões atribuídos a ele.

O pedido foi feito ao Supremo Tribunal Federal (STF). Geddel também quer saber as circunstâncias da operação da Polícia Federal, quais pessoas foram ouvidas e qual agente atendeu à ligação denunciando a existência do esconderijo.

Segundo a Polícia Federal, a descoberta do dinheiro ocorreu após uma ligação anônima. No pedido de Geddel, a defesa não explica o motivo de buscar o nome do autor da ligação e só diz que a informação é "imprescindível” para o caso.

Ao ser questionado sobre o motivo, o advogado de Geddel, Gamil Föppel, apenas disse, em nota, que "possui o direito de informação acerca de todos os elementos de prova que sejam usados contra si" e que os órgãos de investigação não têm direito ao sigilo da fonte -- prerrogativa, geralmente concedida a jornalistas de não revelarem que lhe passa informações.

Além do número telefônico de quem ligou para a polícia, a defesa também quer saber que policial atendeu ao telefonema.

Os advogados também pediram informações sobre as perícias de papiloscopia realizadas nas notas, onde foram encontradas digitais de Geddel e de assessores. O objetivo aqui, diz a ação, é realizar um exame de peritos contratados pela própria defesa.

O pedido vai ser analisado pelo relator do inquérito no STF, ministro Edson Fachin.

Abaixo nota divulgada pela assessoria de Geddel:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A defesa técnica de Geddel Vieira Lima vem esclarecer que, ao menos enquanto vigerem as disposições legais, possui o direito de informação acerca de todos os elementos de prova que sejam usados contra si, ressaltando que o próprio texto constitucional veda ao anonimato a proteção garantida à liberdade de expressão, não podendo os órgãos de persecução penal valerem-se da prerrogativa de sigilo da fonte, conforme reconhecido pelo próprio Ministério Público Federal, ao sugerir no bojo das “10 medidas” (inconstitucional) projeto de lei para permitir tal prática.

demais, registra a forma habilidosa com que foi usurpada a competência do Supremo Tribunal Federal, mormente pelo fato de os mesmíssimos elementos que a própria Procuradora-Geral da República, quiçá em tentativa de se evitar a decretação de nulidade, afirmou serem insuficientes para o deslocamento da competência do juízo de primeiro grau, posteriormente, de forma conveniente, terem conduzido à equivocada instauração de investigação contra autoridade com foro no STF.

Por fim, novamente, rechaça todas as acusações que são imputadas.

Gamil Föppel
OAB/Ba 17.828

Com agências 



ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENT√?RIOS (0)  

Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal
CONTE√öDO RELACIONADO

21-11-2017 Camelot às avessas
12-11-2017 Políticos articulam projetos para barrar combate à corrupção
04-11-2017 Geddel quer saber quem delatou o bunker milion√°rio
01-11-2017 Fachin manda para Moro den√ļncia do n√ļcleo do PMDB
28-10-2017 Temer sabia de propinas de Cunha na Caixa, diz doleiro
25-10-2017 C√Ęmara rejeita den√ļncia contra Temer e ministros
VEJA MAIS

21-11-2017 Camelot às avessas
21-11-2017 Nova fase da Lava Jato prende ex-gerente da Transpetro
20-11-2017 Seg√≥via assume PF e lamenta disputa com Minist√©rio P√ļblico
20-11-2017 Lula recebeu R$ 27 milh√Ķes em palestras a empreiteiras
19-11-2017 MP tenta anular sess√£o que libertou Picciani e mais 2

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152