Brasília, 12 de Dezembro de 2018
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV Câmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

LAVA JATO
TRF-4 reduz penas de Gim Argello e de empreiteiros 07.11.2017
Divulgação
Argello est√° preso em Curitiba

Brasília - A Justiça reduziu as penas do ex-senador Gim Argello, do ex-presidente da construtora OAS Léo Pinheiro e do ex-presidente da UTC Ricardo Ribeiro Pessoa, condenados na operação Lava Jato. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) julgou nesta terça-feira (7) os pedidos de revisão (apelação criminal) feitos pelos três, após sentença do juiz Sergio Moro.

Na ação, Argello, condenado a 19 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e preso no Complexo Médico Penal de Pinhais (PR), foi denunciado por pedir pagamento de propina a dirigentes de empreiteiras em troca de proteção. Mediante o dinheiro, Argello deixou de convocá-los para depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instaurada no Senado para apurar crimes ocorridos na Petrobras, e na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para apurar crimes contra a estatal em 2014.
 
O ex-senador foi preso na operação Vitória de Pirro, 28ª fase da Lava Jato, em abril de 2016. A sentença de Moro saiu em outubro do ano passado.
 
Argello teve a pena reduzida para 11 anos e 8 meses de reclusão. Léo Pinheiro, condenado por corrupção ativa e lavagem de dinheiro, conseguiu redução de 8 anos e 2 meses para 5 anos e meio. A mudança para Walmir Pinheiro Santana, ex-diretor da UTC, foi de 9 anos e 8 meses para para 6 anos e 2 meses.
 
Ricardo Pessoa, ex-presidente da UTC, que fez acordo de colaboração premiada e não recorreu, obteve redução de 10 anos e 6 meses para 7 anos.
 
Argello teria solicitado R$ 5 milhões a Pessoa, que foram repassados como doação eleitoral registradas a partidos indicados pelo ex-senador. Os demais réus na ação foram denunciados por fazer a intermediação entre as empreiteiras e Argello.
 
No despacho, os desembargadores da 8ª Turma do TRF4 entenderam que o crime de embaraço à investigação não foi "autônomo, mas parte dos delitos de corrupção por eles praticados, tendo a condenação sido mantida apenas em relação a estes últimos".
 
No mesmo processo, o Ministério Público Federal (MPF) recorreu contra a sentença de outros cinco réus absolvidos em primeira instância por falta de prova suficiente: os ex-diretores da OAS, Roberto Zardi Ferreira e Dilson de Cerqueira Paiva Filho, o ex-secretário-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Valério Neves Campos, o filho de Gim Argello, Jorge Afonso Argello Júnior e o ex-assessor dele, Paulo Cesar Roxo Ramos.
 
Nesse caso, o TRF4 manteve as absolvições.

Apelação
 
Essa é a 20ª apelação criminal da Operação Lava Jato julgada pelo tribunal. A sentença de primeira instância foi proferida pela 13ª Vara Federal de Curitiba, comandada pelo juiz Sergio Moro, no dia 13 de outubro de 2016.
 
O advogado de Gim Argello, Marcelo Bessa, disse "que a redução da pena minimiza, mas não corrige totalmente as ilegalidades sofridas pelo cliente". O defensor de Ricardo Pessoa, Antônio Figueiredo Basto, considerou a decisão "justa e adequada à prova dos autos". 
 
O advogado de Léo Pinheiro, José Luís Oliveira Lima, informou por mensagem que não se manifestaria.
 
Com agências


ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENT√?RIOS (0)  

Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal
CONTEÚDO RELACIONADO

10-12-2018 O bombardeio sobre o Supremo
10-12-2018 Lava Jato prende prefeito de Niterói por corrupção
08-12-2018 O supremo desgaste da Suprema Corte
07-12-2018 Ex-assessor de Fl√°vio Bolsonaro movimentou R$ 1,2 milh√£o
06-12-2018 Aprovação a Bolsonaro sobe, aponta pesquisa da Ipsos
06-12-2018 Palocci diz que Lula renovou MP por propina para filho
VEJA MAIS

11-12-2018 Meirelles aceita ser secretário de Dória
11-12-2018 PF faz busca em imóveis de Aécio no Rio e de deputados
11-12-2018 Filha acusa médium João de Deus de estupro
10-12-2018 O bombardeio sobre o Supremo
10-12-2018 Bolsonaro diz na diplomação que quer ser presidente de todos

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152