Brasília, 20 de Fevereiro de 2018
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV Câmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

LAVA JATO
Ex-secret√°rio de Cabral e empres√°rio s√£o presos 23.11.2017
Divulgação
Régis Fichtner integrou grupo da propina

Brasília - A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (23), na Operação Cest Fini, nova fase da Operação Lava Jato, no Rio, e prendeu Régis Fichtner, ex-secretário da Casa Civil do governo Sérgio Cabral, .

O empresário George Sadala também foi preso. O empresário Fernando Cavendish, ligado a Delta, foi levado para depor.

A Cest Fini mira um esquema no setor de prestação de serviços ao Estado. São investigados os crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

De acordo com o Ministério Público Federal, Fichtner teria recebido R$ 1,56 milhões em vantagens indevidas. No esquema, Fichtner teria usado o seu cargo de chefe da Casa Civil para favorecer empresas específicas de outros integrantes do esquema atribuído a Sérgio Cabral.

A Procuradoria da República afirma que as investigações tiveram como base os depoimentos do operador de Cabral, Luiz Carlos Bezerra, que admitiu que as anotações feitas em suas agendas apreendidas pela Polícia Federal referiam-se à contabilidade paralela da organização liberada por Cabral. Nestas anotações, constam os codinomes “Regis”, “Alemão” e “Gaúcho”, que seriam referências a Regis Fichtner.

Operação

Em nota, a PF informou que aproximadamente 85 policiais federais cumprem, nos municípios do Rio de Janeiro e Duque de Caxias cinco mandados de prisão preventiva, um de condução coercitiva e 14 mandados de Busca e Apreensão, todos expedidos pelo Juízo da 7°Vara Federal Criminal.

Segundo a PF, durante as investigações foram identificados elementos indicadores do envolvimento de servidores públicos e empresários no pagamento e no recebimento de vantagens indevidas. Suspeita-se que empresários costumavam procurar o ex-secretário da gestão Sérgio Cabral (PMDB), tido como muito influente, para obter facilidades junto governo estadual. O serviço denominado Poupa Tempo também é investigado.

Sérgio Cabral está preso desde novembro do ano passado.

Régis Fichtner e George Sadala foram fotografados, em setembro de 2009, na "Farra dos Guardanapos", em Paris. Sérgio Cabral estava no encontro.

A operação desta quinta é parte da Operação Calicute, que pegou o ex-governador.

Com agências 



ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENT√?RIOS (0)  

Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal
CONTEÚDO RELACIONADO

14-02-2018 Perda de tempo
03-02-2018 Defesa de Cabral tenta anular transferência para Curitiba
01-02-2018 Justi√ßa aceita den√ļncia e Cabral vira r√©u pela 21¬™ vez
27-01-2018 PGR rejeita acordo de delação de Eike Batista
23-01-2018 Cabral tinha postura desafiadora, diz delegado
19-01-2018 Cabral já está em Curitiba e vai para presídio
VEJA MAIS

19-02-2018 Focus indica crescimento do PIB em 1,04% em 2017
19-02-2018 Guerra declarada
19-02-2018 Ministro da Justiça descarta intervenção no Ceará
19-02-2018 C√Ęmara deve votar hoje o decreto de interven√ß√£o no Rio
18-02-2018 √öltima chance do Rio, sorte grande do governo Temer

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152