Brasília, 12 de Dezembro de 2017
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV CâĘmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

LAVA JATO
Tribunal mant√©m o bloqueio de R$ 16 milh√Ķes de Lula 28.11.2017
Divulgação
Lula foi condenado no processo do tríplex

Brasília - O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) manteve o bloqueio de R$ 16 milhões de valores e bens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) determinado pelo juiz Sérgio Moro, em julho, no processo que envolve o apartamento tríplex no Guarujá. O tribunal é a segunda instância dos processos da Operação Lava Jato de Curitiba.

Em decisão unânime, a Oitava Turma do TRF-4, formada por três desembargadores, negou, nesta terça-feira (28), pedido da defesa de Lula para retirar o bloqueio.

A Oitava Turma é a mesma que ainda irá julgar a condenação do ex-presidente a nove anos e seis meses de prisão no mesmo processo, baseado em um esquema de corrupção entre a empreiteira OAS e a Petrobras. Caso ela confirme a sentença de Moro, Lula poderá ficar inelegível para a disputa presidencial em 2018. Ainda não há data para que o julgamento aconteça.

No começo do mês, os defensores de Lula haviam pedido para que os desembargadores revissem a decisão sobre os bloqueios.

Segundo o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato na segunda instância, um mandado de segurança, recurso utilizada pela defesa de Lula contra o bloqueio de bens, não é "o instrumento processual correto para o pedido". De acordo com Gebran, os defensores deveriam ter utilizado um "incidente de restituição de coisas apreendidas".

Para o desembargador, a questão deve ser avaliada por Moro, na primeira instância. "É imprescindível o exame inicial pela autoridade judiciária que determinou a medida", ressaltou Gebran em sua decisão, que foi acompanhada pelos pelos outros dois desembargadores da Oitava Turma.

O caso

Em 12 de julho, Lula foi condenado a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Logo após, Moro determinou o sequestro de bens e contas do ex-presidente a fim de reparação de danos. Lula, segundo a sentença, teria sido beneficiado com mais de R$ 16 milhões em vantagens indevidas.

Foram bloqueados, então, três imóveis, um terreno, dois automóveis e contas bancárias do ex-presidente. No total, Moro sequestrou, entre contas e planos de previdência, quase R$ 10 milhões de Lula.

A defesa do ex-presidente considera que o bloqueio é "ilegal".

Com agências 



ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENT√?RIOS (0)  

Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal
CONTE√öDO RELACIONADO

11-12-2017 Conversão tem preço
10-12-2017 Após criticar Temer, general é afastado no Exército
09-12-2017 A voz dos quartéis
09-12-2017 "Lula quer voltar à cena do crime", diz Alckmin
04-12-2017 Processo contra Lula acelera na segunda inst√Ęncia
04-12-2017 Desviar o foco
VEJA MAIS

12-12-2017 Comissão apura farra aérea de seis ministros
12-12-2017 Justi√ßa aceita den√ļncia e "homem da mala" vira r√©u
11-12-2017 Conversão tem preço
11-12-2017 O poder corrompe?
11-12-2017 Petrobras cobra devolução de R$ 1 milhão de Gleisi

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152