Brasília, 20 de Setembro de 2018
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV Câmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

CORRUPÇÃO
Obra na casa da filha de Temer foi paga em dinheiro vivo 10.06.2018
Divulgação
Maristela Temer fez obra polêmica

Brasília - O empresário Antônio Carlos Pinto Junior, que forneceu portas e janelas para a reforma da casa da filha do presidente Michel Temer, Maristela Temer, apresentou à Polícia Federal documentos que comprovam que parte do material usado na obra foi pago com dinheiro vivo.

O empresário prestou depoimento no fim do mês passado, em São Paulo. Ele é dono da empresa que forneceu esquadrias para a reforma da casa de Maristela Temer. Foram 32 itens -- entre portas e janelas de PVC. Valor total da compra: quase R$ 121 mil, divididos em cinco parcelas.

O contrato mostra que a primeira parcela, de R$ 56 mil, foi depositada em dinheiro vivo na conta da empresa. O documento é assinado por Maristela Temer.

Em depoimento à Polícia Federal, o dono da empresa disse que foi procurado pela arquiteta Maria Rita Fratezi, mulher do coronel João Batista Lima Filho, no primeiro semestre de 2014.

Lima foi preso em março na operação Skala, que apura se o presidente Michel Temer recebeu vantagens indevidas para beneficiar empresas do setor de portos com a edição de um decreto.

Os delatores da J&F afirmam que entregaram R$ 1 milhão ao coronel Lima. E que o dinheiro era propina para o presidente Temer.

O empresário disse que só ficou sabendo para quem era a obra quando Maria Rita disse que as notas fiscais deveriam sair em nome de Maristela Temer.

Ele disse ainda que a mulher do coronel Lima insistiu que queria pagar a primeira parcela em dinheiro vivo. E que ele recusou porque não aceita pagamento em espécie.

No final do depoimento, Antônio Carlos Pinto Junior disse à polícia que não é normal em seu ramo a insistência por pagamentos de altos valores em dinheiro.

Empreiteira

A Polícia Federal também ouviu no fim do mês passado em São Paulo Luiz Eduardo Visani, o dono da empreiteira que fez a obra na casa de Maristela.

Visani disse que foi o coronel João Batista Lima Filho quem ligou para ele no fim de agosto de 2013.

Segundo o engenheiro, a mulher de Lima, Maria Rita Fratezi, era a arquiteta responsável pela obra e que ele participou de uma reunião com os dois na Argeplan, a empresa de Lima, para acertar os detalhes da obra.

Visani contou que logo no início da obra foi informado que a reforma era no imóvel de Maristela Temer.

O engenheiro disse ainda que se encontrou a filha do presidente na obra por quatro vezes mas que nunca conversou sobre o orçamento com ela.

Visani contou também que quando procurou Maria Rita Fratezi para combinar o pagamento, ela disse que os pagamentos seriam feitos na Argepan em dinheiro vivo.

E que foi mensalmente à empresa para receber direto no caixa da empresa, entre novembro de 2013 e março de 2015, período em que a obra aconteceu.

Visani disse aos investigadores que o valor total recebido foi de R$ 950 mil em parcelas. E que valor não inclui os impostos e serão afetados depois entre ele e coronel Lima. O engenheiro apresentou os recibos dos pagamentos aos investigadores que estão todos em nome de Maristela Temer.

As informações do empreiteiro responsável pela obra e do fornecedor de esquadrias contradizem o depoimento da filha do presidente à PF em maio. Maristela disse que pagou a reforma da casa com dinheiro próprio e que não guardou nenhum comprovante.

O Palácio do Planalto não quis comentar. A defesa do coronel João Batista Lima Filho e de Maria Rita Fratezi declarou que eles não praticaram qualquer ato ilícito ou irregularidade. A reportagem não conseguiu contato com a defesa de Maristela Temer.

Com agências 



ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENT√?RIOS (0)  

Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal
CONTEÚDO RELACIONADO

17-09-2018 Toffoli defende urna eletr√īnica e critica candidatos
16-09-2018 Ficção sepultada, derrota anunciada
13-09-2018 Fachin d√° 15 dias para PGR decidir se denuncia Temer
09-09-2018 Manifestação marca morte de pintor em Roraima
08-09-2018 Planalto manda PF aumentar segurança dos candidatos
01-09-2018 Governo pato manco, candidatos-sabonete e apologia do horror
VEJA MAIS

20-09-2018 Para o Datafolha, Dória tem 26% seguido de Skaf com 22%
20-09-2018 Datafolha: Bolsonaro com 28%, Haddad 16% e Ciro com 13%
19-09-2018 Carta de Lula ao General Mour√£o
19-09-2018 Porandubas Políticas
19-09-2018 Eliana Pedrosa lidera corrida ao Buriti com 22%

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152