Brasília, 22 de Maio de 2019
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV Câmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

OPERAÇÃO ROSS
PF faz buscas na casa da mãe e em empresa da irmã de Aécio 20.12.2018
Divulgação
Aécio é investigado pela PF

Brasília - A Polícia Federal cumpre, nesta quinta-feira (20), três mandados de busca e apreensão que têm como alvos endereços em Belo Horizonte ligados ao senador e deputado federal eleito Aécio Neves (PSDB-MG).

As ordens judiciais, referentes à segunda fase da Operação Ross, foram expedidas pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, a pedido da Procuradoria Geral da República e da PF.

De acordo com a PGR, os alvos são endereços de "pessoas ligadas" a Aécio. Os policiais foram ao endereço da mãe dele, Inês Maria Neves Cunha, o novo local onde mora Frederico Pacheco, primo do senador, e o endereço de uma empresa da irmã do senador, Andréa Neves. Nesta fase há apenas mandatos de busca e apreensão.

A PF teve indícios de que documentos estão sendo guardados na casa da mãe do senador. Outra suspeita que está sendo apurada é que Inês Maria pode ter se beneficiado de operações ilícitas envolvendo a Rádio Arco-Iris, já que é uma de suas sócias.

 

Aécio estaria ligado ao recebimento de vantagens indevidas pedidas ao grupo J&F, controlador da JBS, entre 2014 e 2017. A operação Ross tem como base as delações da JBS e investiga o recebimento de cerca de R$ 130 milhões em propina por políticos.

Os investigadores teriam descoberto "novos indícios de práticas criminosas", segundo a PGR.

Segundo a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, as buscas eram necessárias porque "há riscos de eliminação de elementos de informação". A PGR também defende que os mandados são importantes para "o aprofundamento da investigação, bem como para a correta delimitação da amplitude das pessoas investigadas".

Defesas

Procurada, a defesa de Aécio ainda não se manifestou sobre as ações desta quinta-feira. Os defensores de Pacheco também não se posicionaram.

A primeira etapa da operação Ross foi realizada em 11 de dezembro. Na ocasião, endereços de Aécio e da irmã dele, Andrea Neves, foram alvos de mandados de busca e apreensão.

Os investigadores buscavam elementos a respeito do pagamento de vantagens. Na época da primeira fase, a PF disse que o dinheiro liberado pelo grupo J&F serviu para obtenção de apoio político e também foi utilizado por Aécio durante a campanha presidencial de 2014, quando foi derrotado no segundo turno.

Com agências 



ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENTÃ?RIOS (0)  

Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal
CONTEÚDO RELACIONADO

VEJA MAIS

22-05-2019 Câmara aprova fim da cobrança de malas por aéreas
22-05-2019 Comissão da Previdência amplia prazo para emendas
21-05-2019 Novas tecnologias afetarão ocupações na indústria
21-05-2019 Relator vai apresentar parecer da Previdência até 15 de junho
21-05-2019 Câmara terá agenda conjunta com Senado sobre reformas

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152