Brasília, 23 de Outubro de 2019
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV Câmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

Oposição quer terceiro turno 09.04.2019
Ruy Fabiano
 
O governo Bolsonaro pode se queixar de tudo, menos de surpresa. O que lhe ocorre – e a recepção selvagem a Paulo Guedes, na CCJ da Câmara, esta semana, resume a ópera – era previsível. 
 
Ele foi eleito para faxinar o establishment político, um dos mais corruptos e poluídos do planeta. E não se faz isso impunemente.
 
A reação se manifesta em todos os poderes, instituições e áreas de influência: mídia, oligarquia cultural, OAB, CNBB, entre outros. 
 
Há uma ameaça latente a todas as zonas de conforto da sociedade, habituadas a conviver com a corrupção, desde que em dosagens que não matassem o paciente – isto é, o país.
 
O PT levou-o à UTI, o que desagradou a alguns. Mas o combate empreendido pela Lava Jato, a princípio saudado, passou a incomodar a mais gente ainda, sobretudo quando excedeu o âmbito do PT e chegou a setores que antes o criticavam, como PSDB e outros.
 
O ministro Gilmar Mendes é o rosto mais visível dessa mutação. Antes, classificava o governo petista de “cleptocracia”; depois, achou interessante que os petistas se tornassem habitués de seu gabinete e já o chamassem de “pátio dos milagres”. O temor comum os uniu.
 
Bolsonaro capitalizou eleitoralmente o despertar da maioria silenciosa, que começou a sair de sua retração já nas manifestações de 2013. O crescimento da Lava Jato levou ao impeachment e à eleição do candidato que personalizava a ruptura. Os derrotados estão unidos na tarefa comum de providenciar um terceiro turno.  
 
José Dirceu, condenado em segunda instância a 30 anos de prisão – e não obstante solto e sem tornozeleira -, disse, em uma de suas entrevistas, que o projeto liberal de Paulo Guedes tem tudo para dar certo, o que tornaria o período Bolsonaro longo e próspero.
 
É preciso, portanto, dentro de sua visão estratégica, impedir que esse projeto seja posto em prática – e mãos à obra. 
 
O ato primeiro, em pleno curso, é inviabilizar a reforma da Previdência, o que imporá impacto negativo ao mercado, com o respectivo agravamento dos índices sociais negativos (desemprego, violência, descrédito do governo etc.). A rejeição ao pacote anticrime de Sérgio Moro faz parte dessa estratégia, o que une establishment e facções criminosas, ambos movidos pelo mesmo interesse.
 
Basta ver a ameaça que o relator do pacote de Moro, senador Marcos do Val, recebeu por parte de criminosos contrariados com o seu conteúdo. Teve sua família ameaçada e a ameaça descrita em detalhes sórdidos e irreproduzíveis. A oposição radical (PT, PSol, PcdoB etc.) não chancela a forma, mas subscreve o conteúdo.
 
O que até aqui o governo concebeu como estratégia de reação é a ocupação das mídias sociais, de modo a falar direto à população. É um começo. Mas as reformas não serão votadas pela internet. Algo mais precisa ser feito para que o Congresso se sinta pressionado.
 
Se não haverá troca-troca – não ao menos na escala capaz de estabelecer maiorias seguras -, a pressão terá de vir das ruas. Ulysses Guimarães, que conhecia bem a Casa, dizia que só um poder reinava soberano sobre o Congresso: o das ruas.
 
A história recente dá-lhe razão. 
 
Ruy Fabiano é jornalista e escritor
 


ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENTÃ?RIOS (0)  

Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal
CONTEÚDO RELACIONADO

22-10-2019 Indústria vê redução nos estoques e demanda maior
22-10-2019 IPCA-15 de outubro é o menor desde 1998
23-10-2019 Senado aprova nova Previdência com 60 votos a favor e 19 contra
21-10-2019 Alcolumbre assumirá Presidência da República quarta-feira
21-10-2019 Maia que iniciar já o debate da Reforma Administrativa
21-10-2019 Marinha concentra em 30 navios a suspeita de vazamento
VEJA MAIS

22-10-2019 Indústria vê redução nos estoques e demanda maior
22-10-2019 IPCA-15 de outubro é o menor desde 1998
23-10-2019 Senado aprova nova Previdência com 60 votos a favor e 19 contra
21-10-2019 Alcolumbre assumirá Presidência da República quarta-feira
21-10-2019 Maia que iniciar já o debate da Reforma Administrativa

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152