Brasília, 28 de Maio de 2020
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV Câmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

CRISE
Defesa de Moro pede ao STF divulgação integral de vídeo 13.05.2020
Agência Brasil
Moro defende divulgação de vídeo

Brasília - A defesa do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro pediu nesta quarta-feira (13) ao ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que divulgue a íntegra do vídeo de reunião ministerial realizada em 22 de abril.

A manifestação foi apresentada como parte do inquérito que apura suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na autonomia da Polícia Federal. Segundo Moro, a irregularidade foi evidenciada na reunião. Celso de Mello é o relator do caso.

Os advogados de Moro afirmam ao STF que a reunião ministerial é um ato oficial do governo e que a divulgação integral do vídeo "caracterizará verdadeira lição cívica, permitindo o escrutínio de seu teor não só neste Inquérito Policial mas, igualmente, por toda a sociedade civil".

Para a defesa de Moro, "a reivindicação pela publicidade total da gravação trará à luz inquietantes declarações de tom autoritário inviáveis de permanecerem nas sombras, pois não condizem com os valores estampados de forma categórica no artigo 5. da Constituição Federal de 1988. Novamente, invocando seu magistério perene e vital para a manutenção da ordem democrática do Estado de Direito, por ocasião de pronunciamento pela passagem do Décimo aniversário da investidura do Ministro Dias Toffoli no cargo de Ministro do Supremo Tribunal Federal."

Nesta terça-feira (12) foi feita uma exibição do vídeo no Instituto de Criminalística da Polícia Federal, em Brasília. Puderam assistir ao material o ex-ministro e um advogado dele, o advogado-geral da União, José Levi, procuradores e um juiz do gabinete do ministro Celso de Mello.

Fontes que acompanharam a exibição informaram que a gravação mostra Bolsonaro usando palavrões e fazendo ameaça de demissão em defesa da troca no comando da PF no Rio de Janeiro.

Sigilo

Ao ministro do Supremo, a defesa de Moro afirma que o material não contém "qualquer assunto pertinente a Segredo de Estado ou que possa gerar incidente diplomático, muito menos colocar em risco a Segurança Nacional".

Nesta terça-feira (12), Celso de Mello deu 48 horas para que as partes do inquérito se manifestem sobre o sigilo da gravação da uma reunião. Além de Moro, devem se manifestar: a Procuradoria Geral da República e a Advocacia Geral da União.

No pedido da defesa de Moro, os advogados apontam que a fala de Bolsonaro na reunião foi direcionada, sim, ao ex-ministro.

Com agências e G1



ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENTÃ?RIOS (0)  

Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal
CONTEÚDO RELACIONADO

27-05-2020 Dólar continua em queda e fecha a R$ 5,283
27-05-2020 Shoppings e centros comerciais reabrem no DF nesta quarta
27-05-2020 Senador vê quadrilhas tomando conta da internet
27-05-2020 Maia apoia responsabilização de quem distribui fake news
27-05-2020 Dória anuncia plano de retomada da economia em SP
27-05-2020 Aras pede que STF suspenda inquérito de fake news
VEJA MAIS

27-05-2020 Dólar continua em queda e fecha a R$ 5,283
27-05-2020 Shoppings e centros comerciais reabrem no DF nesta quarta
27-05-2020 Senador vê quadrilhas tomando conta da internet
27-05-2020 Maia apoia responsabilização de quem distribui fake news
27-05-2020 Dória anuncia plano de retomada da economia em SP

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152