Brasília, 02 de Julho de 2020
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV Câmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

CRISE POLITICA
Caso Moro avança e PF quer colher depoimento de Bolsonaro 24.06.2020
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
PF informa a Celso de Mello que necessita ouvir Bolsonaro sobre interferência na PF

 Brasília - A Polícia Federal informou hoje ao ministro Celso de Mello, do STF, que necessita ouvir o presidente Jair Bolsonaro no inquérito sobre a suposta tentativa de interferência do presidente na autonomia da instituição, conforme denúncia do então ministro da Justiça Sérgio Moro. De acordo o que a PF informou ao ministro Celso de Mello, as investigações estão avançadas.

 
O ofício enviado a Celso de Mello, relator do caso no STF, é assinado pela delegada Christiane Correa Machado e foi recepcionado pelo gabinete do ministro na última sexta-feira.
 
"Informo a Vossa Excelência que as investigações se encontram em estágio avançado, razão pela qual nos próximos dias torna-se necessária a oitiva do Senhor Jair Bolsonaro, Presidente da República", diz o texto do ofício.
 
No último dia 29, a delegada Christiane Correa pediu ao ministro Celso de Mello a prorrogação do inquérito por mais 30 dias. No dia 8, o ministro autorizou. 
 
O primeiro a ser ouvido no inquérito foi o ex-ministro Sergio Moro, em 2 de maio. No depoimento, o ex-ministro citou como prova da interferência do presidente a reunião ministerial de 22 de abril, no Palácio do Planalto. O conteúdo da reunião se tornou público em 22 de maio e provocou grande instabilidade política no país. Na sequência, a PF ainda tomou mais de dez depoimentos, entre ministros, delegados e ex-aliados do presidente.
 
Desde então teve início a guerra de versões entre Moro e Bolsonaro. Segundo Moro, Bolsonaro se referia à Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. O presidente, por sua vez, disse que se referia à segurança pessoal dele, cuja responsabilidade é do Gabinete de Segurança Institucional.
 
Embora outros ministros já tenham autorizado depoimentos por escrito, o entendimento que o ministro Celso de Mello já manifestou em outras ocasiões é que, independente do cargo que ocupe, investigados devem depor pessoalmente.
 
Com Portal G1
 


ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER
COMENTE ESTE ARTIGO   LEIA COMENTÃ?RIOS (0)  

Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal Voltar a Página Principal
CONTEÚDO RELACIONADO

01-07-2020 Congresso adia as eleições para 15 e 29 de novembro
01-07-2020 OIT prevê aumento da desigualdade e pobreza na América Latina
01-07-2020 Toffoli lembra desafios e diz que democracia sai fortalecida
01-07-2020 TSE quer provas periciais para julgar chapa Bolsonaro-Mourão
01-07-2020 Porandubas Políticas
01-07-2020 Ciclone deixa 9 mortos e um rastro de destruição no Sul
VEJA MAIS

01-07-2020 Congresso adia as eleições para 15 e 29 de novembro
01-07-2020 OIT prevê aumento da desigualdade e pobreza na América Latina
01-07-2020 Toffoli lembra desafios e diz que democracia sai fortalecida
01-07-2020 TSE quer provas periciais para julgar chapa Bolsonaro-Mourão
01-07-2020 Porandubas Políticas

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152